Comunicação, música & quadrinhos com Marcos Limão

Salve, salve rapa! Supimpa? Ou supimpa também já é demais?

Seguimos com o nosso Papo Mutante, aquela troca de figurinhas com os muchachos que atuam no underground e muitas vezes nos bastidores da cena. Hoje o papo é com um parceiro que, apesar do nome é um doce de pessoa. Amante do rádio, como eu, e dos quadrinhos, como eu, a conexão é com meu mano Marcos Limão!

Papo Mutante – Começando mais um Papo Mutante, aqui no Blog da Mutante Rádio, a casa do underground. E hoje a troca de ideia é com um colega da comunicação, que eu peço que se apresente para quem nos acompanha: quem é Marcos Limão?

Marcos Limão – Salve irmão Jeff e quem cair sem aviso nesse papo – aqui Marcos Limão, em mais alguns dias, um quarentão nesse Brasilzão. Residente no Leste de SP e tenho grande interesse em artes, desde pivete, através de HQs e vinis e programas de clipe que acompanhava. Graças ao punk rock comecei a me interessar por Ciência Política e tocar instrumentos, o que também são frentes que curto muito ler sobre.  

Papo Mutante – Cara, como que começou esse interesse em se comunicar e ter programas na rádio? Conta um pouco da relação tua com o rádio.

Papo Mutante  – E qual programa de rádio não rola ouvir nem fodendo?

Marcos Limão – Os chamados programas cristãos que mais se preocupam em julgar do que acolher pessoas em vulnerabilidade.

Papo Mutante – Sobre o Tuareg Show, conta aí o que é o programa, como surgiu e o porquê do nome.

Marcos Limão – O Tuareg surgiu com o convite do André Buda e Lula, agitadores na Internova Radio Web porque junto do meu grande irmão Fernando Oliveira da Mutante Radio , criamos o 10 Trax (programa inspirado em listas); num período que fiquei fora do Trax, o pessoal da Internova me convidou para desenvolver algo… tive total autonomia, então criei um programa com nome inspirado numa letra de Jorge Ben e fodamente interpretada pela eterna Gal Costa. Tuareg como alguém nômade, e poder passear por quaisquer tema que eu desejasse.
Sempre procuro mesclar novidades do Underground com outros sons que se adequem ao tema que proponho a cada edição.

Papo Mutante – Você é um cara que acompanha sempre as produções independentes. Como que você analisa nosso underground na criação de conteúdo e sobretudo na provocação aos minions?

Marcos Limão – O underground tá indo muito bem, ao que analiso em produções de bandas e essa teia de pessoais diversas trabalhando juntas. Então deposito mais e mais atenção no que é nacional; agora pros veículos de difusão, creio eu que o lance de “gratuidade da Web” tenha trazido outro olhar pra canais que depositam tempo e sangue pra motivar o submundo enquanto cenário – canais como o Submundo do Som, Oganpazan, NPN, Baile do Capiroto. Não vejo o reconhecimento devido, e a consideração em se investir $$$ em veículos do tipo por parte de quem acessa, ou colar nos shows de artistas da vanguarda. Já a provocação aos minions é um tanto complicada, mas não impossível, mas do lado deles há muita grana envolvida e a arquitetura estruturada pra eles serem o senso comum de geral.

Papo Mutante – Mano, numa treta que de um lado tivesse Superman e Adão Negro e do outro estivesse Wolverine e Hulk Cinza, sem titubear, quem levaria a pior?

Marcos Limão  – Superman e Adão Negro levariam a pior, na certeza. Wolverine é o Danzig que deu certo, e o gigante cinza é o famoso Hulk agiota. Não dá pra tankar hahaha.

Papo Mutante – Para encerrar mestre, quais seus planos para o futuro? E deixe aí seus anais de comunicação.

Marcos Limão  – Muita satisfação em participar do papo, Jeff e Mutantes! Meus planos estão em algo escrito sobre Música (talvez dentro do Facebook), tornar o Tuareg constante novamente e continuar estudos e pesquisas. Como diria o poeta Gog: O estudo é o escudo!

Chama o tio lá nas redes: @_marcoslimao

Compartilhe

Notícias

Protestos 1, futebol 0

No segundo dia de jogos da Copa do Mundo, realizada no Catar, manifestações políticas estiveram presentes. Antes e até mesmo durante a partida entre Irã