A importância de nosso apoio aos artistas independentes

Uma das situações mais dantescas que vejo há muito tempo e que me deixa muito incomodado são aquelas nas quais uma pessoa, ou um grupo delas, que quando vão para um local para prestigiar uma banda, um escritor ou quadrinista, ou qualquer outro tipo de arte, ao invés de pagar pela obra do amigo ou amiga, pagar a entrada do bar, faz de tudo para se mostrar “amigo”, mas se recusa a pagar entre R$ 5 e R$ 20 para apreciar um show ou despender um valor um pouco maior para adquirir um livro, uma camiseta ou seja lá o que for.
Óbvio que a pessoa é livre para fazer isso, mas é impressionante como consegue se dizer amigo ou amiga, afinal, quem realmente preza pela amizade e respeita o trabalho, faz de tudo para que o músico, o escritor cresça cada vez mais. A situação econômica atualmente não é das melhores, estamos cansados de saber isso, mas a situação é ruim para maioria de nós. Por isso que um apoio módico com um amigo pode ser importante, é uma maneira de valorizar o trabalho.
Mas o apoio não precisa ser financeiro se a situação está complicada. O apoio pode ser realizado por meio das diversas redes sociais às quais estamos cadastrados. Compartilhar uma música, um clipe, um cartaz de evento, não nos custa nada. Falar da banda de seus amigos para quem não os conhece também não. Distribuir convites pelas ruas também
E outra situação que me deixa ainda muito contrariado é quando a pessoa se dia amiga, mendiga entrada em evento, mendiga brindes, mas quando uma banda muito conhecida vem do exterior ela faz o maior sacrifício para adquirir uma entrada, perde dia de trabalho ou de aula, passa horas em uma fila, praticamente financia a entrada, mas quando é para ver os amigos ou amigas, tudo torna-se difícil.
É claro que é muito legal ver uma banda que talvez tenhamos uma única oportunidade na vida, mas é incoerente quando se enche o saco de alguém para entrar em algum bar e não pagar. Só quem teve banda sabe o quanto dá trabalho, é muito prazeroso, sem dúvida!, mas dá muito trabalho e gasta-se uma grana considerável com equipamento, com a manutenção desse equipamento, com as horas de estúdio para ensaio e gravações, sem citar as horas de vida que a pessoa se dedica.
Por isso acredito que precisamos reavaliar nossas atitudes. Vamos contribuir com os artistas que gostamos de todas as formas possíveis e com o que temos. Muitas das vezes desperdiçamos nosso tempo apenas com críticas e discussões que levam do nada para lugar nenhum. Ao invés disso, fale do fanzine do seu amigo, compartilhe publicações nas redes, incentive, quando for a algum show, pague a entrada, pois assim você estimula que o local que abriu espaço também consiga se manter e que esse espaço sirva para outras pessoas.
A Mutante também é um espaço incrível para as várias formas de arte, com sua diversidade de programas e culturas. Às vezes, uma única parcela para ver uma banda, você consegue ver três ou quatro de amigos ou de pessoas próximas. As grandes bandas que conhecemos, um dia também foram bandas de garagem. Só chegaram ao topo pois tiveram qualidade, persistência e apoio. Ninguém nesse mundo consegue caminhar sozinho.
Atualmente temos muitas bandas, muitos zineiros, escritores, roteiristas com muita qualidade, que persistem, talvez falte somente um pouco mais de apoio. Aí é que nós entramos. Se queremos ver uma cena independente em nosso país rodar legal, basta nos unirmos e cada um, dentro de suas possibilidades, apoiar um pouco mais o trabalho do outro.
Ivan Gomes, 44 anos, é produtor e apresentador do programa 3 Notas pela Mutante Rádio e torcedor do Santos Futebol Clube, sua única virtude

Compartilhe

Notícias

Protestos 1, futebol 0

No segundo dia de jogos da Copa do Mundo, realizada no Catar, manifestações políticas estiveram presentes. Antes e até mesmo durante a partida entre Irã